DC
Last Kiss
So I'll watch your life in pictures like I used to watch you sleep and I feel you forget me like I used to feel you breathe. All that I know is I don't know how to be something you miss.
home ⌧ encante-me ⌧ encante-se ⌧ photos ⌧ Blog ⌧

Quando ela está feliz, ela não consegue parar de falar, se torna tão leve como se flutuasse. Quando ela está triste, ela não diz uma palavra e faz do silêncio sua morada.
Ela é você, Nanda Marques
Nunca sei o que responder quando me perguntam o que é amor. É um sentimento confuso, e creio que ninguém realmente sabe defini-lo. Só sei que quando estou contigo, ou mesmo vejo uma foto ou recado, algo mexe comigo e ai eu tenho certeza do que é o amor. Pra mim amor é o sentimento que não morre mesmo eu tentando o matar várias vezes, é cautela e espera, é o suspiro e o sorriso, é o encontro e ás vezes desencontro, é não saber sabendo, é chorar no meio de uma gargalhada, é estar no céu e ir de encontro com o chão, é se jogar em um precipício escuro, é ir de encontro com o desconhecido, é pedir pra morrer querendo viver… Confuso? Imagine a minha cabeça! Mas isso tudo pode ser resumido numa única frase: amor é você.
Epístolas para Ben 
Eu tive um sonho ruim, sonhei que tinha te perdido. Não vai embora não, pode ser? Fica aqui comigo hoje, amanhã e por descuido, fica aqui pra sempre. Tudo bem, eu entendo, não sou a melhor pessoa do mundo mas posso ser a melhor pessoa pra você. Deixa comigo, eu tomo conta de você, eu te cuido. Fica aqui, não pense em ir embora em momento nenhum. Não quero te prender, mas não posso te deixar solto. Cola em mim e não larga mais. É completamente egoísta da minha parte, mas não me importo em ser se for pra ter você só pra mim, pra sempre.
Carol Alves, promisse. 
Eu não sou de ir embora, eu sou aquele que fica e espera. Espera a volta de quem foi, ou a chegada de quem nunca esteve. Um novo amor é sempre bem-vindo.
Caio Augusto Leite.
É por isso que eu quero te agradecer: obrigada por me amar. Obrigada por estar ao meu lado quando eu mais preciso, quando me perco, quando não sei quem sou, quando mergulho e não encontro o caminho de volta. Obrigada por me amar nos meus dias ruins, quando estou assustada ou agressiva, chateada ou morna. Obrigada por me amar mesmo sendo mandona, mimada e brava. Obrigada por me amar quando não sei o que fazer, quando não consigo dizer ao certo o que preciso, quando o que aparece é só o meu avesso. Obrigada por amar minhas fraquezas, angústias e asperezas. Obrigada por amar minha sujeira, meu lixo interno, meu lado azedo e estragado. Obrigada por amar meu jeito muitas vezes infantil. Obrigada por amar meus defeitos, que não são poucos. Obrigada por amar minha forma desastrada de ser. Obrigada por me amar quando falo sem pensar, quando o filtro vai embora, quando surto, enlouqueço, grito ou vomito frases feias. Obrigada por me amar quando eu erro. Obrigada por me amar quando eu não sou tão legal. Obrigada por me amar quando o amor anda na corda bamba. Obrigada por me amar quando eu acabo esquecendo de gostar de mim. Obrigada por amar o que escolhi ser. Obrigada por amar quem eu sou e não quem você gostaria que eu fosse. Isso, sim, é amor.
Clarissa Corrêa.
Abraço é coisa tão séria que não se empresta, se dá. E quando os corpos se encostam, todos os chakras se tocam. Abraço é coisa tão séria que junta os dois corações: pode ecoar para sempre ou esvaziar por inteiro. Pois quando a gente abraça, traz para dentro a pessoa: com bagagem, passado, infância, viagens e o principal: seu perfume espiritual. E o que recebemos nem sempre é o que damos, por isso alguns são afagos que nutrem por um longo tempo e outros, desespero pra matar a fome, um devoramento. Recuso abraçar levianamente, abraço com meu enrosco de afeto demais, amor puro, corpo colado para o abraço ser sentido, ter sentido. Abraço que é de verdade pode até ser dado de longe, pois ultrapassa as esferas e desconhece distâncias, é todo feito de encontro. Abraço é coisa tão séria que há de ser doce, leve, divertido, espontâneo, mesmo quando acalanto, colo ou celebração. A gente agarra por impulso de carinho porque a sintonia é a mesma. E quando o abraço termina, quando ele é dado de graça, fica a cosquinha no peito, uma brisinha na alma e a harmonia instalada.
Marla de Queiroz.   
Sabe o que eu queria agora? Queria ir à praia, e sentar na maior pedra que estiver lá, e de lá de cima olhar o mar e chorar tudo o que eu tenho pra chorar, e depois voltar pra casa aliviada e poder sorrir um sorriso meu, um sorriso verdadeiro, sem choros escondidos, sem maquiagem, sorrir um sorriso puro. Será que eu consigo?
Cássia Ellen. 
Eu pensei direito, fiz uma pesquisa. Eu li a respeito e a gente é um só. Eu nos vi no espelho e contei nossos dedos, não fica vermelho a gente é um só. Sem você, eu sumo. Eu morro de fome, eu perco meu rumo. Eu fico menor, eu tenho o seu gosto, eu sou do seu jeito. A cor do seu rosto eu já sei de cor, mas se você planeja nos partir ao meio, então nem pestaneja e faça sem dó. O meu desespero é que quando acaba você fica inteiro e eu fico o pó.
Clarice Falcão.  
E hoje eu pude te reencontrar, naquele disco que você me deu de presente no verão, lendo aquelas mensagens antigas onde você dizia que o nosso amor seria um pequeno infinito, te reencontrei naquele canto do quarto onde você gostava de passar as noites junto comigo, naquele livro na estante que você não terminou de ler, naquele filme que você assistia em dias chuvosos, te reencontrei no cheiros das flores, e nossos momentos revivi todos eles quando pudi sentir o vento tocar meu corpo inteiro, pude sentir você bem ao meu lado, quando cai em lagrimas, quando minha alma se desabou. Hoje eu te reencontrei novamente, quando deitei em minha cama, e sonhei com você mais uma vez.
Cartas de um velho amor.   
Pra você guardei o amor que nunca soube dar. O amor que tive e vi sem me deixar, sentir sem conseguir provar, sem entregar e repartir. Pra você guardei o amor que sempre quis mostrar, o amor que vive em mim vem visitar, sorrir, vem colorir solar, vem esquentar e permitir. Quem acolher o que ele tem e traz, quem entender o que ele diz no giz do gesto o jeito pronto do piscar dos cílios, que o convite do silêncio exibe em cada olhar. Guardei, sem ter porque nem por razão ou coisa outra qualquer, além de não saber como fazer, pra ter um jeito meu de me mostrar. Achei, vendo em você, explicação nenhuma isso requer, se o coração bater forte e arder no fogo o gelo vai queimar. Pra você guardei o amor que aprendi vendo os meus pais, o amor que tive e recebi e hoje posso dar livre e feliz, céu cheiro e ar na cor que o arco-íris. Risca ao levitar. Vou nascer de novo, lápis, edifício, tevere, ponte, desenhar no seu quadril meus lábios beijam signos feito sinos, trilho a infância, terço o berço, do seu lar. Guardei, sem ter porque nem por razão ou coisa outra qualquer, além de não saber como fazer, pra ter um jeito meu de me mostrar. Achei, vendo em você, explicação nenhuma isso requer, se o coração bater forte e arder no fogo o gelo vai queimar.
Nando Reis.  
Dizem que somos um casal meio estranho. Ninguém entende muito bem o nosso amor, deitamos sobre a grama pra contar estrelas, ficamos procurando disco voador. Dizem que somos um casal bem diferente, uma menina séria e um sonhador. Que olhamos um pro outro como as crianças olham o presente que o Papai Noel deixou. O que eles não sabem é que somos dois passarinhos namorando em um galho sem espinhos. Somos malucos, loucos, dois doidinhos, pirados, mas apaixonados.
Lucas Lucco.
Tudo começou com uma brincadeira, com elogios inofensivos, uma amizade pra ser mais sincero. Mas sei la, aconteceu algo diferente, algo mudou, não só em mim, mas em nós, nossa amizade passou ser mais séria, começamos a sentir ciúmes um do outro, algo que nunca tinha ocorrido. Tentamos nos enganar dizendo que não era isso, que era só bobeira, mas era uma bobeira, uma bobeira que se tornou um compromisso.
De repente é amor. Junior Ruiz.  
Sempre achei bonito isso da vida, de quando de repente, “puft”, passou. Mas nunca passa, mas sério, sempre chega muito perto. Fico me perguntando até quando isso vai ser assim. Hoje pela manhã pareceu tão real, juro, pareceu que nem havia acontecido. Paciência, vai, paciência, a eternidade sempre foi algo que passou bem longe das minhas crenças – mas eu ainda quero ir ao céu, senhor – logo penso que por isso nunca passa, mas sério, esse nunca quase sempre, chega. Aí eu lembro também que eu sempre passei por fases, desde o “rock in roll na veia, mano!” ao “Ah, foda-se essa porra toda”, por isso nunca me levei tão a sério e vai ver por isso nem os outros me levavam. Mas então, ei, hoje eu acordei e de repente, puft, passou, fiquei tão feliz, finalmente meu nunca havia passado, foi aí que andando na rua ao som de Muse, puft, ela passou, logo pensei “ah, quem sabe semana que vem ela morre”, continuei a andar e pensei “não, ela não merece morrer, ela é uma boa pessoa, puta-que-pariu, bote boa nisso”, mas sério, quase passa.
Marcos Filipe. 
Só sei que no final, o amor é isso, uma grande bobagem, que deixa a gente meio tonto, sem saber o que falar, que faz perder o ar, o chão, o sentido. Só sei que no final de tudo, o amor se resume, em palavras que foram ditas e separadas ou esquecidas com o tempo, ou em lembranças boas e felizes, de quem um dia você chamou de amor.
Gabriel Barboza.
O amor é um brincalhão, ele adora contrariar nossas vontades, ele ama quando você se apaixona, e acaba ficando na expectativa que isso floresça. O amor quer que tudo dê certo, ele espera mais é a felicidade de ambos. O amor quer proporcionar sentimentos estranhos jamais sentidos por você, seja ele saudade ou decepção. O amor, ele brinca com a sua psiquê, ele penetra a sua alma e se hospeda na intenção de manipular tudo o que sentes. O amor é um palhaço que faz você rir, e que ri também quando você faz besteiras por quem ama, quando você gagueja, quando você tropeça ao olhar para ela ou ele. O amor é tão simples que as pessoas não aceitam essa tal simplicidade, eles acham que ele depende de algo, mas amor, amor mesmo, é livre, é um pássaro indo sem rumo não escolhendo Sul ou Norte, apenas sentindo o perfume do céu, e o prazer do vento batendo em suas asas, vento esse que me trouxe você.
Je T’aime.