PC
make me feel loved
I don't need a hundred roses waiting by the front door I don't need a fancy house. You could rope the moon and bring me all the stars in heaven it won't change how I feel. You don't have to be a modern-day shakespeare you don't have to be anything you're not, you don't have to give me diamonds to impress me, just give me your heart.
enchantment enchant me enchant you enchanted lovelies

"Você sabe que encontrou a pessoa certa quando a definição de amor não é mais uma palavra ou frase, mas um sorriso, um perfume, alguém.
Mateus William  
"Mulher diz tudo o que sente sim, mas com uma grande diferença: sem dizer nada. Sabe quando ela demora para responder suas mensagens? Ela se segurou o dia inteiro para mostrar a você que não teve tempo e que não se importa tanto assim. Sabe quando ela não te chama no msn? Anos de estudos para fazer um doce, fingindo que não está morrendo de saudades. Sabe quando ela passa reto de nariz em pé, toda linda e esnobe? É o ”vou fingir que não te vi”. Sabe quando ela não te responde de primeira? Apenas um teste para ver se você está interessado o suficiente para chamar de novo. Complicadas. Inteligentes. Superiores. Enquanto eles se acham espertos elas simplesmente são, sem ter que achar nada. Ela diz que te odeia e te manda ir embora, mas experimenta sair de perto dela para ver o que acontece. Ela desliga o telefone na sua cara e diz que vai sair com as amigas a noite porque você nunca a mereceu, e na maioria das vezes ela deita na cama e chora. Seres extremamente fortes, estupidamente sensíveis. Todo homem deveria ter um dia de mulher. Mulher sabe sorrir quando quer chorar. Mulher sabe desprezar quando quer amar. Mulher sabe ignorar quando a maior vontade é ligar e pedir o amor do canalha de volta. Mulher pensa com o coração e age com a cabeça. Dentro de uma mulher existem sentimentos ocultos. Vulcões em erupção camuflados por enormes geleiras. Mulher tem o poder de passar do lado do babaca que partiu seu coração de salto alto, sorrindo e deixa para chorar em casa. E sabe porque eu gosto de ser mulher? Bom, mulher pode estar perdidamente apaixonada. Pensar nele 24 horas por dia e fazer hora extra. Olhar o telefone de 5 em 5 segundos, e a cada toque, achar que é ele. Mas, meu caro, tenha certeza que você jamais saberá disso. Na verdade ela pode estar tendo overdose de amor, ataque de ciúmes, caindo os cabelos de raiva. Mas para ele, ela vai estar vendo um filme de romance na tv e repetindo milhares e milhares de vezes: ”Homem? Ahh.. Só fazendo um modelo novo de fábrica. Zero km. E que de preferência não fale, para não mentir.” Ela pode ser meiga e doce, mas experimente dizer isso a ela. Ela simplesmente sorri com olhos de cinismo e diz “vai sonhando”. Ela sonha com uma casa simples e três filhos correndo pela sala, mas te jura que o seu maior sonho é ser bem-sucedida profissionalmente. Dona de casa? Jamais. Enquanto te conta seus planos futuros sobre o emprego e o salário que pretende ganhar, ela tira suas medidas mentalmente para levar no alfaiate da esquina e planejar o terno que você vai estar usando enquanto a espera – com o vestido e o penteado que por ventura, ela já escolheu – no altar.
Tati Bernardi. 
"Tentei uma, duas, três… perdi a conta. Tinha um plano A, um B, um C, e você sabe como o alfabeto termina. Você me deu milhares de razões pra ir embora, isso tudo em ordem cronológica. Nunca consegui desisti, nunca consegui ir embora, e isso é horrível, porquê eu sei que mesmo que acabassem todas as alternativas, eu ainda ia acreditar na gente, esse negócio todo de esperança é foda.
Sorry, I’m not Chuck Bass. 
"Acredito que quando se ama alguém e é recíproco, você se torna um pouco vulnerável. Eles têm o poder de te machucar de um jeito que ninguém pode.
The Originals. 
"Queria conhecer alguém que me oferecesse a pior conversa que eu já tive, mas que fosse bom o bastante para me fazer ficar até o fim. Seria como ter uma boa explicação pra um pisão na espinha, ou uma martelada na costela. Queria conhecer alguém que me fizesse pensar sobre o quão ruim tem sido estar bem, e não conseguir apontar de onde surge a tal tristeza. Queria ter uma péssima companhia, para sentar na ultima mesa de um bar vazio, numa noite de segunda-feira, e compartilhar da insonia, cada sonho que se esvaiu. Queria alguém que escutasse as minhas loucuras, e olhasse nos meus olhos como se estivesse me dizendo que faz sentido. Alguém capaz de brindar a insanidade.
Sean Wilhelm. 
"Portanto, agora, ali estava eu. Sentado ouvindo a chuva. Se eu morresse agora, ninguém verteria uma lágrima em todo o mundo. Não que precisasse disso. Mas era estranho. Até onde um trouxa pode ficar solitário? Mas o mundo estava cheio de velhos rabugentos como eu. Sentados ouvindo a chuva e pensando para onde foi todo mundo.
Charles Bukowski.
"Eu queria te contar que agora não dói mais. Só que agora não importa tanto o que você vai pensar sobre isso. Queria que você soubesse que já vi nossos filmes milhares de vezes e nem chorei. Ok, chorei. Mas pelo filme, e não por você. Queria que você soubesse que tirei a poeira das nossas músicas, e que as ouço quase todos os dias. Porque elas me faziam mais falta do que você fez. Os nossos lugares não são mais nossos. Eu já voltei lá com outras pessoas, e escrevi lá outras histórias… Eu estou aprendendo a tocar violão. E a primeira música que toquei foi aquela música que era uma espécie de hino pra nós dois. Ela é tão linda… E sim, ela continua sendo muito nossa e lembrando demais você. Mas ainda sim, não dói. Você não pergunta essas coisas, mas sei que gostaria de saber. Porque te conheço. E isso não mudou. Do mesmo jeito que adivinhei as coisas ruins que você aprontaria, eu sei as coisas boas que ficaram aí em você e te fazem lembrar de mim. Porque a vida segue. Mas o que foi bonito fica com toda a força. Mesmo que a gente tente apagar com outras coisas bonitas ou leves, certos momentos nem o tempo apaga. E a gente lembra. E já não dói mais. Mas dá saudade. Uma saudade que faz os olhos brilharem por alguns segundos e um sorriso escapar volta e meia, quando a cabeça insiste em trazer a tona, o que o coração vive tentando deixar pra trás.
Caio Fernando Abreu.  
"Alguns sentimentos, possuem vazios inexplicáveis. Algumas explicações, possuem solidões inescrutáveis. Algumas solidões, possuem silêncios imperdoáveis. Alguns silêncios, possuem decibéis imagináveis. Algumas imaginações, dores insuportáveis. Algumas dores, perdas irrefutáveis. Algumas perdas, choros dilaceráveis. Algumas lágrimas, oceanos incontroláveis. Alguns equilíbrios, forças indomáveis. Alguns términos, amores insuperáveis. Alguns amores, fins intermináveis. Alguns.
Michael Letto. 
"Tu merece alguém que abra os olhos diariamente e pense: ‘cara, eu tô com ela, eu sou o namorado dela!’. Que goste da tua boca, do teu ombro, do teu cabelo bagunçado, do teu calcanhar, da tua cintura, das tuas mãos, do cheiro da tua pele, das sardas do teu rosto. E isso vai acontecer naturalmente ao você se dar conta de que tu é bonita, no âmago e na lata. Um dia serás o amor da vida de alguém, do jeitinho que tu é. Acorde hoje e repita: ‘eu sou bonita’.
Gabito Nunes.   
"Eu sou idiota. Chata. Louca. Dramática. Esquisita. Uma hora rindo, outra chorando. Amo atrapalhar o sono das pessoas. Tenho brincadeiras insuportáveis. Perco o controle, xingo, bato, esperneio. Adoro irritar. Falo muita bobagem, até você não aguentar mais. Tento fazer graças, e quando ninguém ri fico magoada. Sou viciada, detalhista, paranóica… Desculpa, mas é essa imperfeita aqui que te ama como ninguém nunca vai ser capaz de amar.
Anônimo.   
"Vou contar um segredo: Não dormi a noite inteira, estou virado. Mas xiu! Ninguém precisa saber além de mim e você, estamos combinados? Espero que sim. Por favor, não entenda mal, tentei dormir. Revirei na cama, contei carneirinhos, eles me contaram. Nós rimos juntos. Eu disse que sentia saudades e pedi que não espalhassem. E quer saber? Eles são ótimos com segredos. Levantei e contei as estrelas do céu, mas não deu certo. Sentei e li um livro, mas nada de sono também. Uma coisa curiosa sobre a noite, é o silêncio natural que surge dela e a forma mágica que ela tem de fazer com que as lembranças nos invadam. Quando percebi isso… chorei. Não um choro comum, e sim aqueles que vem de dentro. Lágrimas que escorrem pelos olhos, porém foram derramadas pelo coração. Estranho e sem sentido isso, né? Mas depois de rir com carneirinhos, o que faz sentido então?
Allax Garcia. 
"Eu sempre ouvi os meus silêncios. Essa voz que mora em mim sem pagar aluguel e me faz gaguejar. Gaguejar calado, é verdade, mas ainda assim gaguejar. Quem ama gagueja. Quem ama diz eu te amo com chiado, pausas imprecisas. É imperfeitamente compreensível! Sim. Esses são os que amam que verdade. Os que não desafinam, nasceram com o discurso dos amantes decorado na ponta da língua, nas nuvens do céu da boca. O amor não permite dever de casa, o amor não se aprende de cor, o amor se estende de corpo e calma. Nunca acredite no amor de quem diz eu te amo sem hesitar duas ou três vezes, sem desafinar setecentas mil vezes. Ouça os seus silêncios. Eles gaguejam incansavelmente até você ousar usar o que tem de mais bonito: o eco do grito dos seus sentimentos.
Eu me chamo Antônio.
"Algumas vezes na vida, você encontra uma amiga especial. Alguém que muda sua vida simplesmente por estar nela. Alguém que te faz rir até você não poder mais parar. Alguém que faz você acreditar que realmente tem algo bom no mundo. Alguém que te convence que lá tem uma porta destrancada só esperando você abri-la. Isso é uma amizade pra sempre. Quando você está pra baixo e o mundo parece escuro e vazio, sua amiga pra sempre te põe pra cima e faz com que o mundo escuro e vazio fique bem claro. Sua amiga pra sempre te ajuda nas horas difíceis, tristes e confusas. Se você se virar e começar a caminhar, sua amiga pra sempre te segue. Se você perder seu caminho, ela te guia e te põe no caminho certo. Sua amiga pra sempre segura sua mão e diz que vai ficar tudo bem. Sua amiga é pra sempre, e pra sempre não tem fim.
Marilyn Monroe.   
"E você poderia vir e me olhar com essa mesma feição de menininha quietinha, meio pequena meio gigante, e eu te diria tantas e tantas coisas, dessas que a gente nem mesmo sabe como se diz direito, mas diz porque há uma necessidade de dizê-las assim, mesmo sem saber como, também com essa feição de menininho quietinho, meio grande demais pra ser chamado de meio pequeno. Você poderia vir sem pensar em voltar, como tem sempre pensado toda vez que me vê te observando desviar o olhar – e nunca a atenção – de mim, folheando livros invisíveis no colo para não parecer desamparada, com medo dessa vida e dessas situações que à Deus pertence, como você diz; mesmo que no fundo que não é fundo o bastante, sua vontade seja de ceder e vir devagar caminhando ao meu encontro, com predestinação divina ou não, na pontinha dos pés e com os braços abertos, quase murmurando um “não dá para te olhar e não sentir que você deveria ser meu.” rindo com a alegria tatuada no rosto, se divertindo com a sorte de ouvir as mesmas palavras ditas por mim também, que seriam ditas, se você viesse mesmo inteira, sem essas sombras de outras vidas e outros amores atrás de você, te puxando pelo braço o tempo todo e dizendo que não, não podemos ser o que queremos ser, e que tudo isso é um sonho alto demais para ser sonhado assim, por nós que não sabemos direito como sonhar com as coisas sem ficarmos pensando vinte e quatro horas no que seriam esses sonhos se não fossem apenas sonhos de uma menininha e um menininho meio pequenos demais diante do medo de amar errado, mesmo que esse errado seja deliciosamente certo. Você poderia vir e a gente poderia ir por aí, para algum lugar ou para lugar algum, desde que fôssemos assim, juntos como sonhamos às vezes – ou quase sempre – em plena luz de vários dias, diante da brisa quase espiritual de várias tardes, e é claro, submissos ainda ao sereno sentimental de várias noites, dessas com céu estrelado que precedem as madrugadas que servem também para sonhar, dormindo ou acordado, com olhos abertos ou fechados, com o coração chorando para mostrar aos olhos que eles não estão sós.
Junior Lima.  

hey hey ((:

Sdds isso aqui )): Eu tive a ideia genial - ou n - de criar um blog, só que eu sei que quando eu voltar as aulas e tudo mais eu não vou conseguir escrever e postar com a mesma frequência nele, eu preciso de alguém que se interesse em me ajudar e a fazer parte. Se alguém tiver interesse de verdade, venha na ask e a gente conversa, pls